Postado por Maria Regadas | Em 4 de outubro de 2016 |

 

 

 

No último domingo, os brasileiros foram às urnas escolher seus representantes municipais: prefeitos e vereadores. Apesar da alta taxa de abstenção e de votos brancos e nulos, algumas prefeituras já foram decididas sem a necessidade de segundo turno. Para a maioria dos municípios, entretanto, o nome de quem ocupará o mais alto cargo executivo do município permanecerá indefinido até o fim do mês. Até lá, os eleitores terão a oportunidade de conhecer melhor as propostas dos candidatos e optar por aqueles com cujos objetivos mais se identificam. Para auxiliar nessa escolha tão importante, o Mapa Educação lista abaixo as propostas dos candidatos que disputarão o segundo turno em algumas capitais do do Sudeste (outras regiões nas próximas semanas).

 

* As informações abaixo foram retiradas dos sites oficiais dos candidatos.

 

 

Rio de Janeiro: Crivella (PRB) x Freixo (PSOL)

 

Propostas de Freixo para a educação do município:

 

– Democratizar as escolas ampliando a participação dos alunos, pais e profissionais de educação;

– Garantir uma educação integral com programas de esporte, arte e cultura nas escolas e creches;

– Criar um novo plano de carreira para melhorar os salários e as condições de trabalho dos profissionais da educação;

– Garantir autonomia pedagógica aos professores, valorizando os Projetos Políticos Pedagógicos elaborados por cada unidade escolar;

– Ampliar o numero de creches e garantir que tenha professor em todas as turmas;

– Garantir o acesso da comunidade escolar a equipamentos e instalações esportivas dos clubes de bairro;

-Oferecer educação especial na perspectiva inclusiva, mantendo escolas e classes especiais para os que necessitem de condições específicas de atendimento que impossibilitem a frequência em turmas regulares;

– Garantir que a comida servida nas escolas e creches seja livre de agrotóxicos e transgênicos.

 

Propostas de Crivella para a educação do município:

 

– Criar 20 mil novas vagas em creches e 40 mil novas vagas em pré-escolas até 2020 através de uma PPP onde o parceiro privado fique responsável pela construção e manutenção administrativa das novas unidades de ensino infantil (EDIs) e a Prefeitura, pela parte pedagógica e pela merenda escolar (por conta das exigências do Ministério da Educação para repasse das verbas da merenda) – mesmo modelo de Belo Horizonte.

– Colocar para funcionar de verdade as Escolas do Amanhã construídas pela atual administração e estabelecer a meta de ter pelo menos 50% dos alunos dos anos iniciais do ensino fundamental (antigo primário), estudando em horário integral até 2020.

– Criar, no primeiro ano de governo e em parceria com universidades e organizações do terceiro setor, um novo programa de qualificação e avaliação de todos os professores municipais – com foco na progressão de sua formação e cursos de pós-graduação.

– Dar mais autonomia pedagógica aos diretores das unidades de ensino do município e reduzir suas atividades relacionadas à gestão administrativa das escolas já a partir do primeiro ano de governo.

– Aumentar em 20% o orçamento destinado ao custeio das unidades de ensino até 2020 para manter a segurança nas escolas e a manutenção de suas instalações.

– Interromper o projeto de construção de novas unidades escolares de ensino fundamental até que todas as atuais estejam funcionando satisfatoriamente, ou seja, a partir do momento que as mesmas estiverem atingindo as metas relacionadas ao resultado de seus alunos no IDEB previamente estabelecidas pela Secretaria Municipal de Educação e a Direção das Escolas.

– Manter e aprofundar o sistema de meritocracia através do qual os professores podem ganhar salários adicionais ao final do ano, dependendo do atingimento das metas de resultado de seus alunos no IDEB previamente estabelecidas com a Secretaria de Educação e a Direção das Escolas.

– Contratar em 2017, todos os Agentes de Apoio à Educação Especial aprovados no concurso realizado em 2014 para auxiliarem os professores em salas de aula onde haja inclusão de crianças com necessidades especiais; e garantir a dedicação exclusiva de um assistente social para cada 3 unidades escolares, visando o atendimento e proteção às crianças em situação de risco familiar.

– Estabelecer parcerias com organizações culturais, esportivas e profissionalizantes do terceiro setor para complementar a carga horária dos anos finais do ensino fundamental (antigo ginásio) com atividades culturais, esportivas ou oficinas de formação profissional – objetivando acabar com os atuais níveis de evasão escolar.

– Criar, em 2017, um programa de incentivo para os pais se envolverem mais nas atividades escolares de seus filhos (reuniões com professores e diretores de escola) a partir da ampliação do programa Vale Cultura.

 

 

 

Belo Horizonte: João Leite (PSDB) x Kalil (PHS)

 

Propostas de João Leite para a educação do município:

 

– O Capital da Escola tem como meta zerar o déficit de vagas hoje existente, universalizando o acesso da população à rede municipal de ensino e à pré-escola, por meio da expansão da rede de UMEIS e parcerias com o setor privado, sobretudo no que se refere às vagas em creches.

– O Observatório da Educação Municipal prevê a disponibilização, na internet, de toda a informação disponível da rede municipal, por escola. A população poderá acessar, no mapa, aspectos como notas no IDEB, investimentos recebidos, fotos das condições estruturais, laboratórios, equipamentos esportivos, biblioteca, itens de segurança, entre outros, e colaborar por meio de atualizações em tempo real.

– O Centro de Referência do Professor será um espaço virtual de capacitação e aprimoramento dos docentes, difusão de boas práticas e troca de experiências. A partir do Centro, a prefeitura oferecerá cursos à distância, material para uso em sala de aula e fóruns de discussão sobre aspectos do ensino na rede municipal.

– O Educando para o Futuro terá por foco a modernização da educação municipal por meio da reformulação de práticas e conteúdos, bem como pela adoção de tecnologias no ensino. A prefeitura vai ofertar disciplinas voltadas à inclusão digital, notadamente programação de computadores, buscando a disseminação de uma cultura de inovação e a criação de oportunidades futuras de trabalho, de modo a consolidar a vocação de Belo Horizonte como capital da tecnologia.

 

 

Propostas de Kalil para a educação do município:

 

[ O site oficial do candidato se encontra fora do ar até o fechamento dessa matéria – http://www.alexandrekalil.com/ – As informações abaixo foram retiradas da seguinte reportagem: http://eleicoes.uol.com.br/2016/noticias/2016/09/29/veja-o-resumo-das-propostas-dos-principais-candidatos-a-prefeitura-de-bh.htm]

O candidato do PHS planeja aumentar o gasto per capita com a educação em Belo Horizonte e promete triplicar o número de crianças matriculadas no ensino pré-escolar. O candidato também diz que os alunos do ensino fundamental e médio no município vão dominar o inglês ou o espanhol. Alexandre Kalil também promete que pelo menos a metade dos alunos das escolas municipais terá acesso a oficinas de reforço escolar e uso de ferramentas tecnológicas, como computadores, tablets e smartphones.

 

eleicoes-2016

 


Sobre Maria Regadas

21 anos, é gerente da Diretoria de Conteúdo do Mapa e estudante de Engenharia Mecânica da PUC-Rio e do INSA de Lyon em um programa de duplo diploma. Atual fellow da Fundação Estudar, é apaixonada por viagens, séries de TV e gosta de acreditar que um dia levará a corrida a sério.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *